Entendam

Deus não esta em templos, muros, placas, não! Ele esta dentro de você, NÃO somos pecadores desde que nascemos, isso é uma mentira, somos seres divinos e mágicos e temos essa essência masculina e feminina da fonte criadora dentro de cada um, não esta nas mãos de extraterrestres salvar o mundo, esta nas mãos dos seres que aqui habitam, o que eles podem fazer é auxiliar no processo, mas não virão aqui nos tomar pelas mãos como se fossemos bebês e nos DAR um planeta novinho em folha para destruirmos NOVAMENTE, ou aprendemos a tratar bem do nosso, ou seremos expulsos pela própria Terra.
Parem de buscar Deus em coisas materiais, se você não aprender a se respeitar, se amar, não vai encontrar Deus, vai se iludir, vai chorar, entrar em depressão e o pior não vai entender que a mudança começa de dentro para fora e que viver é um presente não um pecado ou castigo.
Como diria um anjo: "O amor é o sábio que nos guia" e como diria Gandhi " Não busque o caminho para a felicidade, a felicidade é o caminho."

Grande abraço a todos e Bem Vindos ao Life's Changing
Welcome - Bienvenido
Pri

DICA: ACESSEM AS ABAS "ARQUIVOS DO BLOG", TAMBÉM OS "MARCADORES" QUE ESTÃO do DO LADO DIREITO DA SUA TELA, AO LADO DA POSTAGEM
CLIQUE TAMBÉM EM "POSTAGENS POPULARES". TEM MUITA COISA SENDO POSTADA E QUE FICA PARA TRÁS SE VOCÊ NÃO SOUBER ONDE PROCURAR, ESTAS SÃO AS DICAS.
Bons estudos
Pri

Siga-nos por e-mail, a cada post novo, você recebe um e-mail

POSTS RECENTES

29 de setembro de 2011



Mitologia - Deuses Serpentes Reptilianos
Figura 1: Tentação e a Queda de Adão e Eva pintada no teto da Capela Sistina (1509-12) pelo artista Michelangelo. Figura 2: Naga designa um grupo de divindades da mitologia hindu e budista da Índia. O termo Naga é muitas vezes ambíguo, pois pode também se referir, em determinados contextos, a uma das várias tribos ou etnias humanas conhecidas como nāga. Figura 3: representação de um reptiliano segundo as descrições de Quetzalcóatl da Mesoamérica. Figura 4: O dragão chinês é um personagem mitológica que aparece também em outras culturas orientais. Arqueólogos e historiadores conservadores insistem em interpretar essas representações como expressão da fantasia criativa e "animista" dos antigos. Outros cientistas, dotados de visão mais ampla ou desprovidos de pré-conceitos, admitem que as figuras reptilianos que aparece em todo o mundo antigo podem ser a imagem real de criaturas que, de fato, existiam na época. As lendas sobre uma arcaica Raça de Serpentes são tão antigas quanto a própria História da Humanidade. Os mitos falam de seres supra-humanos que vieram "dos Céus" e participaram da criação dos Homens ensinando ciências, partilhando conhecimentos, em princípio, proibidos, implantando ordem social, miscigenando-se com alguns terráqueos, observando e zelando o nosso desenvolvimento. Estes seres, com aspecto reptiliano, não estavam sozinhos mas acompanhavam outros seres ainda mais evoluídos e/ou poderosos e que os antigos reconheciam como "deuses". Esses deuses-serpente [répteis] aparecem no contexto cultural-religioso das grandes civilizações antigas. Naqueles dias, dragões e serpentes significavam uma herança divina, sinal de sabedoria e conhecimento [ciência objetiva]. O Caduceu, conhecida imagem de duas serpentes enroscadas em um bastão [conhecimento na mitologia antiga], até hoje é símbolo dos médicos e da medicina.
A cobra enrolada na taça
cobra enrolada na taça é conhecida como o símbolo da farmácia
O caduceu é na atualidade a insígnia do bispo católico ucraniano
Símbolo da Alquimia

"Dois símbolos têm sido usados ultimamente em conexão com a medicina: o símbolo de Asclépio, representado por um bastão tosco com uma serpente em volta, e o símbolo de Hermes, chamado caduceu, que consiste em um bastão mais bem trabalhado, com duas serpentes dispostas em espirais ascendentes, simétricas e opostas, e com duas asas na sua extremidade superior .







Esquerda: O biscione ("cobra grande") como símbolo de Milão, aqui visto na estação férrea central de Milão. Ao lado: O logotipo da Alfa Romeo. Direita: Mansão do primeiro ministro italiano, Silvio Berlusconi.
Referências ao Guardiões-Observadores, anjos bons e maus são encontradas em muitos textos antigos, incluindo o Antigo Testamento no qual encontram-se relatos extraídos de registros ainda mais velhos, como o Livro de Enoch, um apócrifo, não incluído na Bíblia católica. O profeta Enoch é mencionado no Gênesis como filho de Caim e pai de Matusalém. [Genesis 5:24; 6:9]. O Livro de Enoch é creditado a Enoch mas ninguém sabe quem é o seu autor ou autores. Porém o texto foi conservado pelos primitivos estudiosos do judaísmo e, certamente, influenciou aqueles que escreveram o Antigo Testamento. O Livro de Enoch é anterior ao Antigo Testamento. Partes do Livro de Enoch foram encontradas escritas em aramaico entre os documentos achados nas cavernas de Qumran [Manuscritos do Mar Morto] em 1947. Estiveram ali ocultas por mais dois mil anos; herança dos Essênios. Outra versão do Livro de Enoch foi encontrada na Etiópia. De acordo com o texto em aramaico "Enoch foi a primeira criança dos homens [filho dos homens] nascida na Terra que tinha aprendido a escrita, a ciência e a sabedoria". Foi instruído pelos "anjos". No Livro dos Guardiões explica-se que os Guardiães são anjos que podem ser bons ou maus. Eram "agentes de Deus" que vieram a este mundo para instruir "os filhos dos homens" e instaurar a justiça e a harmonia na Terra. Todavia, alguns desses anjos praticaram o mal, usaram sua posição de mestres com malícia e pecaram. Enoch subiu aos céus para testemunhar contra aqueles anjos rebeldes que, assim, perderam as graças de Deus. Enoch disse a Deus que aqueles anjos "tinham se juntado às filhas dos homens de modo que se tornaram impuros". A punição para o pecado dos anjos rebeldes foi a destruição da Raça Humana, incluindo a espécie híbrida, fruto de cruzamento genético entre anjos e humanos. E foi assim que aconteceu o Dilúvio. Os anjos rebeldes, aprisionados pelos Arcanjos Michael [Miguel], Sariel, Rafael e Gabriel foram "arremessados" em um "abismo ardente".
Reptilianos: Os Deuses Aliens da Mesopotâmia




Esquerda: Estatueta que lembram uma lagartixa ou uma serpente produzidas entre 4.000 e 5.000 a.C. encontradas nas ruínas das cidades de Ur e Eridu na Mesopotâmia. Centro: Mural, na tumba do filósofo egípcio Ptah-Hetep, no qual a criatura alien é estampada. e a última: Dogū são estatuetas japonesas que marcam o período Jomon Jidai, 14,000 a.C. a 400 a.C..
Existem documentos históricos muito mais antigos que os Manuscritos do Mar Morto que também registram a existência dessas estranhas criaturas. Na Mesopotâmia, Suméria [Sumer]* era uma palavra que significava "Terra dos Guardiões"; e Babilônia, "Portão dos Deuses". Entre os milhares de tabletes de argila recuperados na região, existem registros de 240 mil anos de idade. Um desses registros, a Lista dos Reis da Suméria, conta a história de deus chamado Anu, líder uma raça de "deuses" extraterrestres: Os Anunnaki. Anu tinha dois filhos: Enki e Enlil. Ilustrações deixadas pelos sumérios deixam claro que alguns daqueles deuses, incluindo Enki, [também conhecido como Ea], eram reptilianos em aparência. Enki ensinou ao "povo" o cultivo das árvores e, mais tarde, salvou a Humanidade da extinção durante um Dilúvio.
* Não há concordância quanto ao significado da palavra Suméria [ou Sumer]. O termo teria sido usado pelos Acádios. Os sumérios denominavam a si próprios de sag-gi-ga povo das cabeças negras e chamavam sua terra de Ki-en-gi ou "Lugardos Senhores Civilizados. Sumer ou Shumer seria a tradução daquelas expressões para a língua acadiana. Os Acádios prevaleceram na Mesopotâmia entre 2.500 a.C.. Os Sumérios, mais antigos, terra e povo historicamente considerados como "berço da civilização" ocidental, ali se estabeleceram entre época remotíssima, mais de 6 mil anos antes de Cristo. É fato já amplamente conhecido: o Antigo Testamento, em especial, Gênesis, guarda uma suspeita semelhança com a história muito mais antiga do rei Anu e seus filhos, Enki e Enlil. A história, interpretada como lenda, alegoria, pelos exegetas tradicionais, poderia indicar com clareza que Enki, simplesmente, conhecia tecnologia relativamente avançada capaz de alterar geneticamente espécies nativas, como os símios em seres humanos. Se a história dos sumérios for encarada como fato objetivo e não como fantasia de um povo então é possível que os primeiros deuses humanos tenham tido uma
aparência reptiliana.
Reptilianos
Em Dragões do Éden, o astrônomo Carl Sagan especula sobre a relação de reptilianos com o misterioso "salto evolutivo" do cérebro humano. Sagan comenta as similaridades entre o cérebro de um réptil e um cérebro humano. No centro do órgão, em uma região chamada complexo-R [complexo reptiliano], ali, repousa as caracteristicas "dinossauro": comportamento agressivo, senso de posse territorial, ritual, organização em sociedades hierárquicas.

Na camada média do cérebro, o sistema límbico, são processadas as emoções tais como amor, ódio, compaixão e outras consideradas características dos mamíferos. A maior parte, o neo-cortex e camada exterior é a sede da vontade, o "lugar onde se faz a diferença entre o bem e o mal". A ciência parece encontrar a verdade nos mitos: o conhecimento do bem e do mal, indicado/fornecido pela serpente, fizeram com que o primeiro "casal" perdesse a simpatia [as graças, dádivas] de seu Criador. Se o criador era reptiliano e suas criaturas sofreram mutações que fizeram prevalecer a natureza do mamífero, desenvolvendo o neo-cortex, então a Humanidade estava se tornando "menos reptiliana" e talvez, por isso, incômoda. Também nos Manuscritos de Nag Hamadi, encontrados em 1945 em uma pequena cidade egípcia, foi decifrada a história da criação do homem: "os corpos deles [Adão e Eva] estavam cobertos por uma "pele córnea" que era brilhante como a luz do dia, como uma veste luminescente... Eva tomou uma das frutas e comeu, e deu a seu marido também. ...Então suas mentes se abriram porque quando comeram a luz do conhecimento brilhou para eles. E quando viram seus criadores, eles odiaram-nos porque tinham formas bestiais". Em outro antigo documento judaico conhecido como Haggadah fica muito claro que "a serpente" não era uma cobra comum:
Entre os animais, serpente era notável. Entre todos eles, ele tinha as mais excelentes qualidades e, em muitas coisas, lembrava o homem. Como os homens, andava sobre duas pernas [era bípede] e era tão alto quanto um camelo. Seus dons [poderes, faculdades] mentais superiores fez que ele se tornasse um traidor [um infiel]. Ele tinha inveja do homem, [da vida conjugal do homem]... Foi punido por ter tentado Eva. Deus disse: "Eu criei você para ser rei entre os animais, para andar ereto... mas você não estava satisfeito... então, você vai andar sobre o próprio ventre". Este passado obscuro, mitificado, envolto em lendas, fornece uma certa sustentação para a idéia de que seres reptilianos estão entre as espécies extraterrestres. Talvez eles sejam exatamente quem dizem que são: os antigos Guardiões da Humanidade. Os bons e os maus também...















Fonte: Livro: Mitologia Deuses Serpentes Reptilianos http://www.4shared.com/document/tIJZ0e6h/Mitologia_-_Deuses_Serpentes_R.htm